quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Animal de estimação – Primeiro ou segundo? Como fazer?


Hoje eu quero falar sobre o tema extremamente importante de como trazer um animal para casa ou se você já tem um, como agregá-lo. A dra. Becker em seu artigo dessa semana, aborda o tema com alguns conselhos. Se preferir, o texto em inglês está aqui.

“Este é um momento emocionante para a maioria das famílias (e os seus novos animais de estimação), mas também pode ser um momento muito estressante por muitas razões diferentes. Por exemplo, alguns donos ignoram que é preciso um tempo para “acostumar” com gente nova em casa.
Um pet em casa altera a sua rotina porque muita coisa tem que ser alterada, não digo que você deva mudar tudo, mas algumas mudanças serão necessárias como por exemplo, cabos fora do alcance, e as plantas venenosas se o seu novo companheiro é um gatinho.
Se você tem filhos, você pode envolvê-los nessa adaptação, mantendo os olhos no cachorro ou gatinho para livrá-lo de todas as tentações que animal pode querer investigar. Pegue qualquer coisa que caiu no chão como elásticos e clipes de papel, nada pode ficar a toa.
Eu digo a meus clientes na prática, que o melhor incentivo para manter uma casa limpa e asseada é um cachorrinho ou gatinho, porque se alguma coisa estiver perdida, ele irá encontrá-la. Os brinquedos vão desaparecer atrás de algum móvel, ou sob sua cama, e de repente você se deparar com aquele adorno que você há muito tempo nem lembrava que havia caído em algum lugar.

Fazer um pré-exame sua casa antes de seu novo cachorro ou gato chegar é a melhor maneira de evitar uma asfixia, vômitos, diarréia ou outras crises, durante essas importantes primeiras semanas de convivência.

Existem outras coisas que você deve planejar com antecedência:
• Onde será que o seu novo animal de estimação fará suas refeições?

• Onde ficará sua tigela de água fresca?

Onde ele vai dormir - no seu quarto? Será que ele vai dormir com você ou na sua própria cama?

• Onde você vai colocar a caixa de areia, ou no caso de um cão, onde é o local designado para suas necessidades?

• Onde você vai colocar arranhador/ vaquinha?

• Se você planeja treinar caixa, onde você vai ficar com ele?
Se você está trazendo um  cão filhote, aconselho a comprar uma caixa. Muitos já devem ter visto meus vídeos no treinamento da caixa e sabe que eu considero uma parte muito importante de manter seu filhote de cachorro seguro quando não houver ninguém em casa ou não exista uma vigilância constante sobre ele.
Muitas pessoas se sentem desconfortáveis com caixas; falam coisas como: "sinto-me desconfortável colocar meu cachorro em uma caixa, enquanto eu estou fora." Se esse é o seu sentimento, informo que os cães, por natureza, gostam de lugares pequenos. Eles anseiam por estar em local seguro e escuro.
Eu recomendo que a caixa já esteja pronta quando o seu filhote chegar em casa. Se o filhote dormir na sua cama por vários dias vai ser mais difícil colocá-lo na caixa, você está apto a correr para a resistência.
Se o filhote já aprendeu seu lugar para dormir de noite na sua cama, colocá-lo na caixa vai gerar um choro, então, recomendo que você compre a caixa antes do filhote chegar em casa, e colocá-lo nela desde seu primeiro dia em casa.

Estocando suprimentos Pet.
Você deve comprar todos os suprimentos necessários antes de trazê-lo para casa - coleiras, bolas / brinquedos, coleiras, etiquetas de identificação, camas, arranhadores, caixa de areia( se for um gato), enfim, tudo o que você vai precisar
E inicialmente, eu recomendo que você mantenha seu animal de estimação na ditea que ele estava antes, porque mesmo que seja ruim, a mudança gera um stress alto e se traduz no corpo do animal.
Vejam, eles estão sendo separados de sua mãe e irmãos, pela primeira vez. mudando ambientes, e muitas vezes, ambientes ao ar livre, trazem novos alérgenos que podem afetar seu sistema imunológico.
Com uma nova família, nova casa e muitas vezes novos amigos da mesma espécie, a última coisa que seus pequenos corpos precisam neste momento é uma dieta nova, o que pode lhes causar problemas gastrointestinais. É por isso que eu recomendo que você compre o mesmo alimento que seu animal está comendo, e, então, lentamente, desmamá-los para uma dieta de melhor qualidade após a adaptação ao seu novo ambiente estar completa
As decisões mais importantes a serem feitas antes de seu animal chegar é decidir quem vai ser responsável por alimentá-lo e cuidar das suas necessidades; no caso, aconselho que seja um membro da família.
Muitas vezes, os pais compram animais para os filhos por satisfazer um desejo da criança, não param para pensar nas conseqüências dessa convivência; crianças, as vezes são muito novas para cuidar de um animal, por isso recomenda-se que no início, os cuidados sejam auxiliados por um adulto e só quando a criança tiver capacidade, passará a tomar conta do seu fiel amigo.

Mesmo os adultos da família, se as tarefas não forem bem distribuídas à frente do tempo, podem dizer que é da responsabilidade de alguém que não eles, por exemplo, pegar o cocô de cachorro no quintal ou limpar a caixa da da caca do gato.

Então, quem irá ensinar o cachorro a fazer suas necessidades no lugar certo? Que tal no começo, no meio da noite? Quem vai alimentar ele? Quem vai levá-lo para consultas seu veterinário? Quem é o encarregado de garantir seu passeio várias vezes por semana?

Quem vai cuidar das unhas corte, higiene bucal, escovando o gato, ou banhando o cão? Essas são as perguntas que eu aconselho a pensar antes de trazer para casa o seu “peludo”. Cuidar bem de um animal de estimação requer tempo, energia e empenho, então, para evitar ou negligenciar o animal de estimação, ou as batalhas sobre quem não fez o que para cuidar do cão ou gato, assim, é melhor definir antes, as expectativas de todos.
O que eu digo aos donos de cães na minha prática, é que se levar para casa um filhote de cachorro e não educá-lo corretamente (ele é muito parecido com filho), então ficará supervalorizado o que pode levar a hiperatividade.

Os filhotes são educados através da socialização com outras pessoas, cães, gatos e ambientes fora de suas casas. Cães que não saem do seu ambiente doméstico, muitas vezes acabam com anomalias do desenvolvimento social mais cedo ou mais tarde.

Assim como você nunca iria olhar para o bebê que dorme em seus braços e imaginar que ele um dia vai cometer um crime e acabar na prisão, não vai olhar para o seu cachorro doce, que nunca sai de sua casa ou quintal e imaginar que ele vai um dia ser tão difícil de conviver que acabará em um abrigo de animais. Por essa razão, é importante socializar o seu animal no período correto - geralmente de seis a doze semanas, quando o seu desenvolvimento mental e social é mais viável. Se o seu animal de estimação não é socializado durante esse tempo, você está preparando o cenário para os problemas no futuro próximo.
Seu animal vai se comportar como você e para você (geralmente), mas ninguém mais. Esse problema geralmente não se torna aparente até a idade de dois, três ou quatro anos de idade, momento em que embora não seja impossível corrigir a situação, é muito mais difícil do que teria sido quando o animal tinha apenas alguns meses de idade.
Por uma questão de coerência na formação de seu novo cão ou gato, você deve configurar as regras da casa antes do animal chegar, com todos os membros da família
Por exemplo, ele vai   ficar dentro da casa?

No sofá da sala?

Será que vai ser bom encontrar o brinquedo dela na cozinha?

Será que vai dormir na cama com você ou mesmo no seu quarto?

Decida com antecedência quais são as regras e chegue a um acordo para que cada um fale sobre a sua opinião.
Muitas vezes não se pode treinar como um profissional, então faça com que ele entenda o que é permitido ou não na sua casa, o sucesso dessa cobnvivência será alcançado quando ele entender que é permitido fazer algumas coisas, às vezes - mas não o tempo todo.

Por exemplo: latindos! Será que o seu cão poderá latir ao ouvir barulhos?
Estranhos na casa? Quando vê algum estranho na casa? Mas, e os vizinhos? Alguns não aceitam e tudo vira um incômodo.
A formação deve ser realizada em acordo, não só em termos de regras da casa, mas também com as palavras usadas para dar os comandos. Seu animal de estimação não entende Inglês ou o fato de que as pessoas usam palavras diferentes e frases que significam a mesma coisa. É por isso que é importante decidir antes do tempo, quais as palavras para comandos que serão articuladas quando eles esperam um comportamento específico.
Por exemplo, na minha casa usamos a palavra "Down" para dizer aos nossos cães para deitarem, e usamos o comando "parado" para que não pulem nas pessoas ou nos móveis.
Outras pessoas usam "Down" para comandar um cachorro parar de pular. Mas se o "Down" comando é usado também para se deitar, vai ser confuso para o animal. Todos os membros da família precisam usar as mesmas palavras para dizer a mesma coisa de modo a não criar confusão, e, esse animal fazer o que se manda.

E ainda outra decisão importante para fazer antes da chegada, escolher um profissional da veterinária para acompanhá-lo nas primeiras semanas em casa.

Eu recomendo que você escolha um veterinário que lhe oriente sobre como você deve cuidar do seu animal. Por exemplo, se tem capacitação, carinho com os animais,? Será que sabe lidar com os casos de emergência? Será que ela aceita cartões de crédito? É uma boa idéia ver todos os detalhes resolvidos antes de levar o seu animal de estimação para casa.
Quando existem outros animais na casa.
Por favor, entendam que não há uma forma perfeita para introduzir um animal de estimação (gato ou um cão), seja ele o primeiro ou se já existem outros animais na casa. Se o veterinário já conhece a seus animais, é bom escutá-lo sobre essa adaptação.
Em minha casa, como exemplo, temos uma cadela que é agressiva com outras cadelas. Ela se dá bem com cães machos, mas quando outras fêmeas aparecem na nossa propriedade, ela reage muito defensiva e agressiva. Através da experiência, eu sei o que esperar. Mas se você tem uma cadela que nunca viu outra em seu território, poderá ficar agressiva, mas você não sabe - até trazer para casa um cão novo do mesmo sexo.
A forma como um novo animal de estimação é introduzido para animais de estimação já existentes pode mudar dependendo da raça, sexo, idade e disposição (personalidade). Você pode ter um pit bull descontraído que pode se dar bem com qualquer cão, mas o seu terno Golden Retriever é pode ser diferente .

Como regra geral, é melhor tentar introduzir um novo cão aos cães existentes em um lugar neutro, como um parque. Levar o seu cachorro para fora do seu território, pode reduzir o estresse e atrito durante a reunião dos cães em uma primeira hora

Se você tiver dois ou mais cachorros em vigor e está adicionando um novo cão, eu recomendo que traga um por vez, (individualmente). Seu cães existentes poderão se reunir e partir para cima do "intruso". Isto pode ser muito intimidante e estressante para a nova adição à família.
Respeitar a hierarquia
Se você tiver mais de um cachorro, um é dominante. No entanto, uma nova adição ao grupo, traz mudanças, por vezes, na estrutura social. Um novo animal de estimação pode se tornar o novo líder e, o animal que você pensou em como dominante pode tornar-se um subordinado.

Isso pode parecer injusto para você humano, mas é importante respeitar a hierarquia que se desenvolve na sua casa. Tentar forçar o seu grupo para voltar à velha hierarquia pode promover agressão. Então deixe seus animais decidirem sobre sua própria estrutura, e lembre-se de dar o animal dominante que lhe é devido. Em outras palavras, preste atenção a ele em primeiro lugar.
Não tente "coisas quadrados para cima", ignorando o novo líder em favor de seu cão antes dominante. Tudo o que você provavelmente vai receber em troca é a rivalidade entre irmãos, que é estressante, caótico e desnecessária.
Deixe que eles ajustam o próprio ritmo.
No caso do animal novo ser um gato; Coloque a caixa de areia, alimentos e brinquedos em seu quarto privado e mantenha-o longe do ruído, da confusão e outros animais (incluindo humanos) em seu espaço.
Introduza esse animal aos outros membros do agregado familiar de uma vez., Isso ocorre em, digamos, na sala de estar, quando o novo gato se aventura para fora no seus locais próprios para investigar. No entanto, você pode organizar esses encontros, que deverão ser realizados em um ambiente calmo, tranqüilo, de baixa tensão, de modo a não assustar ou estressar mais o novo gatinho.

Se você está trazendo um novo cachorro, gatinho ou gato adulto na família, é muito importante que o habitante não esteja na sua casa antes que do ambiente está apropriado para recebê-lo com segurança e confiança de que estará seguro no novo ambiente, e que todo o grupo esteja completamente entrosado em sua ausência.
Um conselho: Nunca deixe um novo animal de estimação sozinho com um grupo existente até que você esteja muito certa de o recém-chegado tem entrosamento para os outros animais e vice-versa.”

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Pulgas e Carrapatos - Dicas naturais

Antigamente, cachorro com pulgas e carrapatos..., Carrapaticida! E nem se precisava o quanto esse veneno poderia, além de prejudicar o animal, também acabar com a nossa saúde. Atualmente, a industria avançou muito e já dispomos de alguns que fazem "menos mal"; uso essa expressão porque na verdade é um produto tóxico e que deve ser usado com muita cautela e somente se for extremamente necessário. Não façam uso permanente desses produtos, conversem sempre com o veterinário sobre a aplicação, nunca faça você mesmo, é perigoso!

Mas para manter esses "monstrinhos" longe dos nossos pets e das nossas vidas e não nos intoxicar, encontrei umas sugestões muitto boas^que agora repasso.

"1- "Chá" de Capim Cidreira:

Receita: Coloque um litro de álcool em um recipiente que possa ser fechado e coloque metade dele com erva cidreira fresca (Aquela de folha comprida) e deixe assim por 24 horas. Depois misture a solução que se criou a 10 litros de água e dez colheres de sopa de sal e coloque em 5 pets de dois litros. Então é só borrifar 2 x por semana e na casa toda, ou quintal, de onde podem estar surgindo as pulgas. Fonte: Comunidade As Neuróticas Mães de Pet

Essa receita eu fiz e borrifava em todo o carpete do apartamento 2x ao dia.

2- Chá de Cravo da India:

Receita: Preparar uma infusão e no último enxague do banho, jogue neles. Além de ficar um perfume delicioso, espanta carrapatos e pulgas. Fonte: Comunidade Vida de Cachorro

Também utilizei essa receita em Sushi e ela realmente ficava com um cheirinho maravilhoso de cravo da Índia.

3- Sabonete Phebo:

Passei a dar banho nela com sabonete Phebo, já que é feito de pétalas de rosas e estas servem como repelente para pulgas. Fonte: Comunidade Vida de Cachorro

4- Oléo de Neem e Citronela:

Estes são dois óleos naturais eifcazes no combate a parasitas externos em animais. Não cheguei a usá-los, pois consegui acabar com as pulgas antes de recorrer a eles ;)

6- Mudas de Capim Cidreira e Citronela:

Plantei mudas de Capim Cidreira e Citronela e espalhei pela casa. Ao fim da tarde elas liberam um cheirinho mais forte que também contribui com o controle de pulgas.

7- Alho:

E aqui, o meu predileto no controle dessas pragas. Sushi, desde que passou para a Alimentação Natural, sempre comeu uma fatia bem fininha de alho na sua refeição da noite. No entanto, quando fui morar em Porto Alegre, almoçava fora todos os dias, o que me fez esquecer de comprar alho para Sushi também. Depois do diagnóstico de DAPP, voltei a dar alho a ela e, dentre os que citei, acho que o alho foi quem mais contribuiu com o controle das pulgas. Segundo Karen Becker, o alho pode ser oferecido no intuito de reduzir os parasitas tanto internos quanto externo nos cães. No entanto, o alho se dado em grandes quantidades pode ser tóxico, como pode ser visto nesse artigo do Cachorro Verde. Hoje, aos meus peludos, ofereço apenas uma fina fatia de alho ao dia"




















quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Uma matéria importante - Leishmaniose: Governo fará teste com coleira impregnada

O projeto-piloto do governo servirá de estudo para avaliação da coleira impregnada com deltametrina a 4%
O MINISTÉRIO da Saúde anunciou na semana passada que fará um projeto-piloto de encoleiramento em massa de cães como uma das medidas de controle da leishmaniose visceral a partir de 2011. Segundo um representante do governo, o projeto-piloto será um estudo para avaliação da coleira impregnada com deltametrina a 4% quando utilizada em larga escala, como ferramenta adicional no Programa Federal de Controle da Leishmaniose Visceral.
As coleiras chamadas de Scalibor e fabricadas pela Intervet/Schering-Plough Animal Health, devem ser distribuídas gratuitamente pelo governo para algumas cidades brasileiras consideradas endêmicas (ainda em estudo pelo governo), contempladas no estudo. Para quem ainda não conhece, a Scalibor é uma coleira impregnada de deltametrina a 4%, princípio ativo repelente e inseticida recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma das ferramentas que auxiliam na prevenção da leishmaniose visceral.

Coleiras serão distribuídas gratuitamente pelo governo para algumas cidades brasileiras

"A LEISHMANIOSE Visceral é motivo de muitas polêmicas aqui no Brasil. Isso porque até esse anúncio do Ministério da Saúde, a única recomendação do governo federal era o sacrifício de animais infectados. A recomendação de sacrifício dos animais deixa um grupo crescente de donos de cachorros indignados, pois defendem que deveria haver pelo menos o direito de tratar dos seus bichos infectados pelo parasita Leishmania chagasi. O assunto é de difícil solução, já que a doença não tem cura e pode ser transmitida para outros bichos e até para o ser humano pela picada de um mosquito conhecido popularmente como “mosquito palha”." (Fonte: http://caninablog.wordpress.com/)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A linguagem dos rótulos - A obrigação de conhecer!

Assim como nós devemos ler e entender os rótulos dos produtos que consumimos, os animais necessitam da nossa ajuda para defendê-los dos abusos da industria cruel e massificante de alimentos para cães. Esse artigo que encontrei em um blog muito bom e que agora trancrevo, mostra em plenitude o que acontece e nós não percebemos por "comodidade".

"Aprender a decifrar rótulos é um bom começo para aqueles que querem descobrir o que estamos oferencendo aos nossos pets. Qualquer alimento para pets que contenha "Farinha de carne", "Farinha de Ossos" ou "subprodutos de carne" podem ter sido obtidos de fontes suspeitas. O termo genérico "Carne" permite que as empresas de alimentos para pets possam usar qualquer fonte animal como ingrediente, ao contrário de termos mais específicos, que indicam claramente a origem dos animais - ou seja, "frango", "produto de carne bovina". Mesmo os alimentos que indicam a fonte de carne, podem cair na "regra dos 4" - isto é, carnes provenientes de animais doentes, deficientes, mortos ou moribundos, impróprios para o consumos humano. As razões para a rejeição são muitas, podem incluir a infestação de pragas, doenças, tumores, mofo, infecção e uma série de outras condições altamente desagradáveis. Em estado selvagem, a maioria dos cães naturalmente evita comer carne contaminada, o que talvez explique a variedade estonteante de sabores e aromas aditivos comerciais a maioria que estes alimentos contém.

Os rótulos que, supostamente, nos permitem entender o que contém o alimento que oferecemos aos nossos cães estão abertos a uma licença artística surpreendente, graças à AAFCO. Um consumidor que compra "Johnny's Cordeiro e Arroz alimento para cães" pode muito bem assumir que "Cordeiro e Arroz" são os principais ingredientes deste alimento - afinal, ele parece dizer isso claramente que no rótulo. Na realidade, a adição de "com", na marca, obriga o fabricante a incluir apenas 3% do total de ingredientes no alimento. Se este alimento foi rotulado como "Johnny's Cordeiro e Arroz alimento para cães", AAFCO deveria exigir que cordeiro e arroz fossem maioria dos ingredientes totais (excluída a água utilizada para transformação) - uma diferença muito grande para essa pequena palavra.
A tendência para a o uso generalizado de "Cordeiro e Arroz" em muitos alimentos deve-se à preocupação dos veterinários dermatologistas. "Não era para ser comido por todos os cães", afirma Dr. Maxwell, DVM. "Era para ser introduzido como uma alternativa de proteína, mas se os cães estão comendo todos os dias agora é inútil para nós, para utilização como alimento alternativo. Donos de pets alérgicos terão que ir às proteínas exóticas combinadas com carboidratos, como avestruzes ou de pato e batata. É caro e desnecessário. Deixar o cordeiro e arroz para os casos de pets alérgicos". Criadores mais antigos comentam que o número de casos de alergias alimentares que vêem hoje são enormes - condição praticamente inexistente na época em que os cães comiam alimentação humana.

Busca de alternativas

Então, o que o proprietário do animal de estimação deve fazer? O livro "Dr Pitcairn's Guide to Natural Pet Care" oferece uma variedade de receitas caseiras para animais de estimação manterem-se saudáveis. Alinha ingredientes frescos, carnes cruas e suplementação equilibrada. Dr. Pitcairn aborda as necessidades nutricionais desde cães a gatos, pets prenhez e dieta vegetariana. Ainda mais convenientemente, tanto Essex Cottage Farms quanto Sojourner's Farms oferecem nutrição natural que incluem grãos, vitaminas e minerais de origem natural - tudo o necessário para criar equilibrado na dieta caseira. A mistura só precisa de ser combinada com a carne fresca, um ou dois legumes, um pouco de óleo, ovo e um pouco de água quente para se tornar plenamente nutritiva e todos os alimentos naturais. Você tem a opção de oferecer cru ou cozido, como preferir.
Com os recentes surtos de contaminação por E. Coli relatados na mídia, bem como artigos descrevendo crescente preocupação com excesso de produtos químicos e alimentos geneticamentos modificados, um segmento crescente da população está se voltando para as fontes de alimentos orgânicos, tanto para si mesmos, quanto para seus animais de estimação. A alimentação caseira permite alimentar seu cão desta maneira. Você pode optar por incluir apenas alimentos orgânicos, livres de pesticidas e carnes free-range (animais criados/engordados no pasto). Essas escolhas tem repercussões fascinantes para criadores de cães, em particular. Estudos feitos pela na Alemanha analisaram os benefícios dos alimentos orgânicos em relação aos outros cultivos. Os animais alimentados com alimentos orgânicos tinham maior fertilidade, nascimentos com menor taxa de mortalidade e ninhadas maiores que aqueles alimentados com alimentos não-orgânicos.
Para aqueles que não têm tempo para cozinhar em casa ou simplesmente preferem uma comida preparada comercialmente, a resposta pode estar no crescente número de "empresas holística" de alimentos para animais que estão surgindo. Muitos destes fabricantes são inflexíveis sobre o seu compromisso de utilizar somente "alimentos para consumo humano" - ou seja, fontes de alimentos que tenham sido certificados como seguros o suficiente para serem consumidos pelos humanos. A empresa de alimentos "Innova" foi fundada pelo Dr. Belfield, DVM, após anos de experiência como veterinário do USDA, foram anos de bons motivos para se preocupar com o que os animais comiam. Outras empresas "holística" que comprometem-se de maneira similar incluem Solid Gold, Wysong, Wellness. Enquanto, talvez, esse alimentos para pets possuem um preço maior que os outros do supermercado, os baratos oferecem fontes nutricionais inúteis.
Como proprietários do animal de estimação, cabe a nós saber exatamente o que é que estamos alimentando nossos animais de estimação, e decidir o que pode e não se pode aceitar como ingredientes. Faça perguntas - a maioria dos fabricantes mantém o telefone do Serviço de Atendimento ao Cliente no saco de ração, ligue! Pergunte a eles o que eles colocam nos alimentos - e, se você não gostar da resposta, diga-lhes isso. Insista em rações feitas com ingredientes de qualidade, vendidas em pacotes que estão claramente identificados, e diga-lhes que só compram de empresas dispostas a oferecer isso. Muitos criadores são procurados para fazer propaganda de ração, porque encaminham filhotes e já fazem propaganda do produto. Portanto, se você é criador, não deixe de informar este fato à empresa! Juntos, nós que possuímos animais de estimação, formamos um músculo mais forte e poderemos ser capazes de garantir que nenhum outro nosso amado pet, terá seu fim dentro de um saco de ração.

Leia mais: http://www.blog.villechamonix.com/2010/08/o-que-esta-dentro-da-racao-que-seu-cao.html#ixzz15M5aE3DG

Que imagem linda!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ração? Razões que o organismo animal desconhece!

Nossa, eu sempre quis oferecer a melhor alimentação para os meus cães e antigamente acreditava realmente que ração, era a melhor opção! Afinal, são tantas marcas, tanta publicidade, jogadas inacreditáveis de marketing, campanhas multimilionárias, que incrível o poder de uma marca!
O artigo abaixo, é a conclusão de um estudo sobre o uso rações na alimentação dos animais, especialmente cães e gatos, escolhi a ultima parte de propósito porque nela estão informações importantíssimas que todo dono deve saber. Se quiserem ler todo o teor, é só dar um pulinho aqui.

“E chegamos ao sexto e último capítulo desta série. Para finalizar de modo impactante, recorri mais uma vez a trechos escritos pela pesquisadora canadense Ann Martin, cuja terceira edição do livro Food Pets Die For (algo como “Comidas pelas quais os pets morrem”, inédito no Brasil), traz um minucioso relatório sobre a massiva reconvocação de rações de 2007.


Não há ninguém melhor que Ann Martin para contar o que, de fato, aconteceu em 2007. A notícia que chegou a nós é que por motivos superficialmente explicados, um número de cães e gatos veio à óbito nos Estados Unidos após consumirem as rações que sempre comeram. Até mesmo um professor de Nutrição da faculdade conhecia apenas uma fração da história. Assim como eu, ele acreditou naquela história de que um número pequeno de pets morreu graças a mais uma inevitável contaminação fúngica.

Como é de praxe nessa indústria, a coisa vai bem mais longe e você vai entender o porquê.
Esses dias, ao responder uma pesquisa sobre a saúde de cães da raça Pastor de Shetland para uma tese de conclusão de curso, me lembrei de importantes episódios do histórico de saúde do meu cão. Em janeiro, ele completará oito anos, mas é incrivelmente saudável e jovial. Na verdade, em toda a sua vida, precisei correr com ele ao veterinário em somente duas ocasiões.

Na primeira, ele passou mal após um reforço de vacinação (V8 + anti-rábica) e para aliviar a dor e mal-estar o veterinário receitou algumas gotas de dipirona. Provavelmente em função da hipersensibilidade provocada pela vacina, meu cão desenvolveu um angioedema (inchaço do rosto), que além de deixá-lo com uma aparência monstruosa, causava extremo incômodo, podendo levar ao fechamento da glote e, conseqüentemente, à morte. Resultado: corri com ele para a farmácia e ele melhorou depois de tomar corticóide – medicamento que, agora sei porque estudei, interfere muito na proteção da vacina

Na segunda ocasião, ele subitamente começou a apresentar vômitos e diarréias violentos e com sangue, e a única causa plausível na época parecia ser o pacote de 1kg de Royal Canin da linha mini size que eu comprara na noite anterior. Os exames de sangue não detectaram nada, mas foi só trocar de pacote que o problema foi embora. Devo ter pego um lote com excesso de algum micronutriente ou contaminado com micotoxinas.
Em nenhum momento o veterinário sugeriu que eu suspendesse a ração e passasse a alimentar meu cão com outra dieta. Assim como, frente à reação pós-vacinal que meu cão apresentou, não ouvi reflexões atribuindo o ocorrido à aplicação da vacina.
O que pretendi transmitir com essa série é que não existe essa fórmula mágica que a propaganda das rações cimentou tão bem nas nossas mentes. Uma alimentação, para ser boa, tem que ser variada dia a dia para que a complementação seja contínua. Tem que ser fresca e livre de substâncias tóxicas e desnecessárias como corantes e flavorizantes. Tem que ser baseada nas verdadeiras necessidades nutricionais dos animais e não nos interesses e conveniências dos fabricantes. Sim, alimentar bem, seja o ente querido, o seu filho, seus pets ou você mesmo, dá um certo trabalho.

Mas, puxa vida, você não acha que vale a pena?”


Leia mais:

O maior recall da história




Antes de 2007, a maioria dos consumidores nunca tinha ouvido falar em recall (reconvocação) de rações para cães e gatos, ou que centenas de animais morreram na década passada por causa de alimentos contaminados. Em março de 2007, a população norte-americana tomou um susto quando mais de cem marcas populares de rações para pets sofreram recall. Os principais veículos de comunicação cobriram esse problema, que resultou nas mortes de centenas, talvez milhares de animais de estimação. Nada menos que sessenta milhões de sacos e latas de ração foram reconvocados.
No passado, os recalls eram motivados por micotoxinas (toxinas produzidas por fungos), geradas por grãos embolorados; ou ainda salmonella, uma bactéria oportunista associada a distúrbios gastrointestinais.

Além das reconvocações de ração, tem havido recalls de brinquedos para pets contendo muito chumbo, e uma pasta dental para cães que contém dietileno glicol (uma substância que pode levar a danos renais). O site Itchmo: News for Dogs & Cats oferece alertas grátis por e-mail toda vez que um recall de rações, entre outras notícias, acontece.

A fabricante Menu Foods, Inc., localizada em Ontário no Canadá, foi a primeira indústria de rações a se envolver no recall de 2007. A Menu fabrica muitas das rações de marcas privadas nos Estados Unidos, Canadá e México. Em fevereiro de 2007, a empresa recebeu a primeira de seis queixas de clientes informando que o consumo de suas rações estava deixando alguns pets doentes. Em 27 de fevereiro, a Menu deu início a testes com cerca de cinqüenta cães e gatos que passaram a ser alimentados com as rações suspeitas.
Em 2 de março, o primeiro de nove animais do teste alimentar morreu de insuficiência renal aguda. A mídia divulgou que a Menu Foods tomara conhecimento do problema desde janeiro de 2007, mas atribuíra as doenças dos animais ao hábito de fuçar o lixo, envenenamentos e outros motivos não relacionados à contaminação por ração.

O recall oficial começou em 16 de março de 2007, quando a Menu Foods anunciou a reconvocação de diversas linhas de rações úmidas (de lata e aqueles sachês tipo “pedaços ao molho”). Essa reconvocação envolveu milhões de latas e sachês de noventa e nove marcas de rações para pets, incluindo nomes de grandes varejistas como Wal-Mart
Em 22 de março de 2007, uma rede de comunicação online criada por donos de cães e gatos, a Pet Connection, passou a providenciar uma lista de casos auto-relatados de animais que ficaram doentes ou morreram após o consumo de rações. O número total de animais de estimação mortos até aquele momento era de 460 gatos e 309 cães – e a lista aumentava todos os dias. As companhias de rações informaram à mídia um número de mortes muito inferior, de cerca de doze animais.
Outras grandes companhias de ração para pets começaram a reconvocar seus alimentos. A Procter & Gamble, fabricante da Iams e Eukanuba, reconvocou 43 linhas de Iams e 25 da Eukanuba. A Nutro, uma outra grande empresa do setor, reconvocou 34 linhas de ração para gatos e 22 linhas de rações para cães. A Purina também anunciou um recall voluntário de uma de suas linhas. Pouco depois disso, a Hill’s se juntou à lista ao reconvocar parte de suas linhas Science Diet para gatos e filhotes.







Leia mais: http://www.blog.villechamonix.com/2010/09/por-que-nao-dar-racao-parte-iv.html#ixzz15GBpfTVF

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Snowball - A Cacatua dançarina!


Esse artigo da Dra. Becker me encantou tanto, que repasso aos que amam os animais. Vejam o vídeo abaixo, ela dança mesmo!!!!

“Recentemente tive o privilégio de ter dois convidados muito especiais na minha sala no Hospital de Animais; a  Irena Schulz e um membro muito especial de sua família, “Bola de Neve”, a cacatua dançarina
 
Eu sou  veterinária das aves de Irena há muitos anos e eu estou familiarizada com a história de “Snowball”.
 
Sentei-me com Irena para discutir o nosso amor mútuo pelas aves e, a sua organização de salvamento de aves, “Bird Lovers Only” e, claro, a “Snowball”

Eu espero que você goste de assistir os vídeos tanto quanto eu amei fazê-los.
 
Uma transcrição completa da minha conversa com Irena podem ser vistos nos links acima.

O que é  “Bird Lovers Only”

Irena Schulz desenvolveu amor pelas aves ainda um bebê. Sua mãe criava periquitos, e ela, muitas vezes adormeceu ao som reconfortante de seus gorjeios.

De acordo com Irena, a organização não tem fins lucrativos no resgate das aves; a  “Bird Lovers Only”, não foi algo que planejado, aconteceu pela sua paixão pelos pássaros.

Como um amante de pássaros, Irena, uma vez comprou pássaros como animais de estimação. Aos poucos, tornou-se ciente de que havia uma grande população de sem-teto. Ela começou a resgatar, mas logo percebeu que  não poderia sozinha, criar tantos pássaros e ainda dar a cada um o cuidado e atenção que mereciam.

Então, Irena doou muitas das aves que resgatou, para seus amigos queridos. Mas no final, ela esgotou essa alternativa também.

O próximo passo nessa evolução foi criar uma organização sem fins lucrativos para ajudar nos seus esforços de salvamento das aves, e assim surgiu a Bird Lovers Only que resgata pássaros de todas as situações imagináveis, incluindo:

Aves que os proprietários desistiram por questões econômicas
Aves cujos proprietários desistiram por razões de separação, divórcio, etc

Aves que sofreram violência
O trabalho necessita de voluntários para ajudar na limpeza e cuidados dos pássaros.

A cacatua “Snowball”,chegou até Irena através de um telefonema do seu antigo dono, que alegou não ter tempo para cuidar dela e que a ave era agressiva com a sua filha.

Irena concordou em conhecer  “Snowball”. Quando o seu dono a trouxe, também entregou um CD de Backstreet Boys.

O homem falou a  Irena, que ao ouvir a música (favorita da ave) ela dançaria!  “Snowball” empoleirada no braço de Irena, ouviu o CD e começou a pular para cima e para baixo no braço de Irena, batendo os pés de acordo com a batida.
ela não podia acreditar!

Enquanto ela observava a dança da cacatua em seu impressionante o ritmo dos Backstreet Boys, tentou não rir, para não movimentar o braço e perturbar movimentos de “Snowball” na dança!

O proprietário de “Snowbal” explicou que a ave desenvolveu uma vontade de dançar logo depois que ele a comprou e seus passos de dança se tornaram mais elaborados ao longo dos anos.
Não será necessário dizer  será dizer que, Irena recebeu Bola de Neve em sua casa e deu-lhe uma  nova família.

“Snowball”  parece precisar de uma batida e ritmos certos para dançar

Quando eu perguntei se “Snowball” só dançava a música que ela colocava, ela disse que quando a ave começa a dançar sem música, está dizendo a ela para pôr as melodias.como se dissesse: 'Eu estou no clima para dançar. "
 
De acordo com Irena, nos dias nublados ou chuvosos “Snowball” muitas vezes não sente vontade de dançar.

Eu perguntei a Irena, se, uma vez que vive com muitas outras aves, “Snowball” inspirou outros do bando a dançarem.

Irena respondeu que, de fato, existem algumas araras no grupo que não eram bailarinos inicialmente, mas depois de assistir “Snowball”, elas começaram a também!

“Snowball” é também um tema de estudos dos doutores
Ani Pereira e John Iversen, do Instituto de Neurociências de San Diego que trabalharam com bola de neve para saber mais sobre suas habilidades de dança únicas.

Alguns médicos acharam, após assitirem o vídeo feito por Irena, que ela havia ajustado, no vídeo, as batidas com os movimentos da “Snowball”

Irena diz que após a exibição do vídeo, o Dr. Patel ainda estava cético, então  numa visita, ele assistiu em pessoa, como Snowball novamente  mantinha seus movimentos com o ritmo de mudança, Irena jura seu queixo caiu!

Desde então, a Agenda Social de “Snowball” a cacatua dançarina, é cheia!
Tanto que necessita de um calendário para agendar os inúmeros eventos e aparições.

O que Irena espera que os fãs de “Snowball” possam entender, é que a dança é um comportamento natural para ela. Ela ouve a música que gosta e quer dançar. “Snowball” não foi treinada por ninguém para fazer isso - ela está exibindo um comportamento que é natural.

“Snowbal” não se importa de dançar na frente das pessoas, também. Na verdade, ela tem um grande prazer e  parece gostar de atenção - quanto mais melhor! Ela não parece sentir medo do palco, o que é bom, já que aparece frequentemente na televisão nacional.

Eu perguntei Snowball poderia simplesmente optar por não dançar em um evento programado ou aparição publica. Ela respondeu que, enquanto ela receber um bom descanso entre os compromissos, está sempre pronta para começar seu show novamente.

Um conselho para os proprietários de pássaros - Alguns de vocês ao assistirem a dança da cacatua, podem ficar tão completamente encantados com “Snowball” que podem querer criar um pássaro exótico.

Saibam: “Aves exóticas são seres mágicos, criaturas incríveis.

mas, também, são de alta manutenção e, muitas são agressivas.

Aves como a “Snowball” têm complexas interações e comportamentos sociais com outras aves e pessoas. Por um lado, eles são animais sociais, mas por outro, podem se comportar de forma agressiva com seres humanos em seu meio. E esse comportamento pode ser confuso e difícil para os seus proprietários compreenderem.

Irena, e eu sabemos que muitos pássaros são explorados por sua beleza e comportamentos divertidos.

Além disso, as pessoas adquirem aves sem perceber o enorme compromisso envolvido, o que já é um erro. Aves como “Snowball” exigem enriquecimento ambiental ao longo da vida, biologicamente uma nutrição adequada e excelente e, muitos cuidados para prosperar. Muitas destas aves vivem em média de 70 ou 80 anos – o que se torna um compromisso longo para uma criatura que exige um cuidado muito diferente face de outros tipos de animais de estimação.

Com “Snowball”, Irena é capaz de informar ás pessoas sobre o que é preciso para ser um proprietário totalmente comprometido quando o animal de estimação é um pássaro exótico.

Ela ajuda as pessoas a compreender que as aves são muito inteligentes e, de fato, as pesquisas nem chegam perto de realmente comprovarem como  as aves exóticas podem usar seus cérebros.

Irena salienta que um pássaro como  “Snowball” sendo tão inteligente,  não vai prosperar preso em uma gaiola, como ornamentos. Aves exóticas que não recebem o enriquecimento ambiental regular ao longo do tempo podem desenvolver problemas emocionais e comportamentos auto-destrutivos." (Fonte: Mercola HealthyPets.com”).

Ler foneticamente

Snowball the Dancing Cockatoo! (Part 1 of 2)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Mais um mimo “Gostosinho Pet”.


Para um final de semana saboroso com o seu pet.

"Almôndegas Caninas"

1 / 2 kg de carne moída
2 colheres de sopa. queijo ralado
1 cenoura, ralada
1 / 2 colher de chá. alho em pó (ou picadinho)
1 / 2 xícara de migalhas de pão (trigo integral é mais saudável)
1 ovo batido
1 colher de chá. pasta de tomate (dois tomates batidos no processador ou o purê)

Modo de fazer
Pré-aqueça o forno a 350 graus. Misture todos os ingredientes e forme bolinhas no tamanho adequado para seu cão. Coloque em uma assadeira pulverizada com azeite. Asse por 15-20 minutos, ou até que fiquem marrons. Esfriar e servir. Se quiser pode congelar por uma semana no freezer.

(De Snipes Ruth-Ann)


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Quando seu animal de estimação se coça: É pulga ou algo pior?

Sarna é uma doença de pele que acomete animais,causada por várias espécies de ácaros parasíticos e se inserem na pele ou nos folículos capilares.
Algumas espécies de ácaros são comumente encontrados em cães domesticados - os outros não são tão comuns - mas nenhuma deles pode causar uma infecção da pele se não forem em número suficiente.
Se o seu animal de estimação está se coçando muito, chegando as vezes a ficar agressivo e estão ocorrendo inflamações na pele, podem haver muitas causas, a Sarna é uma delas.

Existem dois tipos de sarna seu filhote pode adquirir:
1. sarna sarcóptica

2. sarna Demodectic
Sarna sarcóptica (“scabei Sarcoptes”), também conhecida como escabiose canina, nela, o ácaro fêmea cava túneis na pele de seu hospedeiro e põe ovos várias vezes em tocas profundas, morrendo depois de depositar os ovos
Em 3-8 dias, os ovos tornam-se larvas de seis patas. As larvas se tornam ninfas de oito patas, e chegam à idade adulta no 'túnel'. Esse ciclo dura 2 a 3 dias.
Estes ácaros vivem melhor em seu cão, mas podem existir por vários dias fora de um hospedeiro - até três semanas em um ambiente úmido, frio, por 2 a 6 dias.

A sarna sarcóptica é altamente contagiosa e pode infestar não só o seu cachorro, mas outros animais, inclusive gatos, porcos, cavalos e sim - até mesmo os seres humanos. Como esses ácaros podem viver por um tempo separado de um hospedeiro, o seu cão pode se infestar sem entrar em contato com um animal infectado.
Ao cavarem tocas e caminharem através da pele, causam uma coceira intensa e formam uma crosta na pele que podem ser infectadas

Como posso saber se meu cachorro tem sarna sarcóptica?
Queda de pelo

Descamação dos cotovelos e orelhas

Os ácaros preferem áreas do corpo do seu animal de estimação com pouco pelo mínimo de cabelo, então estarão mais sujeitas a coceira, peito, barriga, embaixo dos braços, ao redor dos olhos e caclcanhares.

Um ambiente quente pode piorar significativamente a situação

Se a infecção não for tratada, pode se espalhar por todo o corpo do seu cão e o seu cachorro pode danificar a pele no vigoroso arranhar e morder quando se coça. A pele pode ficar escurecida e os linfonodos aumentados, além de surgirem infecções secundárias na pele
Tratamento de uma infestação de “Sarcoptes scabei”
Se seu cão tem sarna sarcóptica, primeiro precisa ser isolado para evitar infectar outros animais de estimação ou familiares.

Sua cama deverá ser cuidadosamente limpa, porque os ácaros da sarna sarcóptica podem sobreviver em sua casa durante vários dias, então é recomendável varrer e esfregar os pisos, carpetes, cortinas e móveis estofados para eliminar os parasitas de onde você vive. Caso contrário, o cão permanece com risco de uma re-infestação como todos os outros membros da sua família.
Sarna demodécica
Os ácaros da sarna Demodectic ou Demodex canis, são habitantes naturais da pele de um cão.

Sob as condições certas, os cães vivem em harmonia com esses ácaros suas vidas inteiras. Mas em filhotes imunossuprimidos, esses bichos podem florescer e causar infecção e muito sofrimento para o animal.

Na verdade, existem três tipos de sarna demodécica, também conhecida como sarna vermelha ou sarna folicular, visto em cães:

1. Sarna demodécica localizada ocorre quando os ácaros infestam apenas algumas pequenas áreas do corpo do animal - normalmente o rosto. Esta condição é comum em cachorros e, na grande maioria dos casos se resolve por conta própria.
2. Sarna demodécica generalizada envolve grandes áreas da pele ou até mesmo o corpo inteiro do cão. Essa condição traz consigo as infecções bacterianas secundárias que causam coceira intensa e um odor estranho.

3. O mais difícil de curar um dos três tipos é frequentemente pododermatite demodécica. Este tipo de sarna está confinado ao pé e cria uma infecção bacteriana.
Se seu cão tem sarna demodécica, você vai notar prurido de infecções bacterianas secundárias, bem como uma certa perda de cabelo, formação de crostas e feridas.
É a Sarna Demodecica contagiosa?
Os ácaros podem passar de um cão para outro, mas em cães com sistemas imunitários saudáveis, isso não representa um problema, por isso é considerada não contagiosa. Os ácaros novos simplesmente se juntam a população de ácaros residentes não resultando em problemas de pele. Cães jovens com sistemas imunológicos imaturos, os mais velhos com o sistema imunológico enfraquecido, e os de qualquer idade que estejam imunocomprometidos são mais susceptíveis a desenvolver a sarna Demodex.

Cães com sarna demodex não devem procriar porque, como não são totalmente imunes estes genes não deve ser repassados. Se o seu cachorro é diagnosticado com demodex você deve deixar seu criador saber.

Os Ácaros Demodex canis não são conhecidas a infestar a pele de gatos (eles têm suas próprias espécies de Demodex) ou humanos.

Tratamento
Tratamento de ambos os sarna sarcóptica e demodécica em clínicas veterinárias tradicionais muitas vezes envolve imersão do corpo inteiro de seu animal em uma substância química potente que mata os ácaros.
Infelizmente, estes mergulhos geralmente causam uma série de efeitos secundários prejudiciais, incluindo:

* Inquietação, sinais do SNC, tremores

* Perda de apetite

* Vômitos

* Diarréia

* Diminuição da temperatura corporal

Outros medicamentos podem ser prescritos, também, tomado por via oral ou injetável, através de aplicação tópica ou xampu. Todos esses tratamentos envolvem produtos químicos que podem causar efeitos colaterais.

Minha recomendação é consultar um veterinário / integrativa holística explorando todas as opções para eliminar os ácaros da sarna e aliviando os sintomas do seu filhote.

Seu cão pode ou não precisam ser mergulhados em produtos químicos fortes ou receber outras terapias potencialmente tóxicos, dependendo da gravidade da infestação e do sucesso de outros tratamentos menos cáusticos, que pode incluir:
* As vitaminas e outros suplementos alimentares, incluindo o Omega 3, para ajudar a aliviar a coceira, melhorar a condição da pele do seu cão, e apoiar a sua função imunológica.
* Shampoo da árvore do chá (evitar sabonetes / shampoos contendo farinha de aveia)

* Mergulho de Lyme-enxofre (todo-natural, mas incrivelmente fedido)

* Remédios tópicos como o alho, nim e óleo de lavanda, e outras ervas calmantes e de cura.

* Interno remédios de ervas para combater a infecção bacteriana e fortalecer o sistema imunológico, incluindo Echinacea (Esberitox é uma das minhas favoritas), colostro, beta-glucanas, folhas de oliveira, Neem, extrato de timo, raiz de alcaçuz e salsaparrilha.
*Homeopathics como enxofre, Silicea e Psorinum
Como o sistema imunológico do seu animal de estimação é a sua primeira linha de defesa contra qualquer tipo de infestação parasitária, uma das coisas mais poderosas que você pode fazer para mantê-la saudável e livre de sarnas, é promover uma alimentação através de uma dieta equilibrada, espécies adequadas (certifique-se de eliminar carboidratos na dieta que irá alimentar o fermento e bactérias oportunistas staph) e reduzir o número de vacinas dadas.
Algumas espécies de ácaros são comumente encontrados em cães domesticados - os outros não são tão comuns - mas nenhuma deles pode causar uma infecção da pele se forem em número suficiente.

(Fonte: http://healthypets.mercola.com/sites/healthypets/archive/2010/10/07/sarcoptic-mange-and-demodectic-mange-in-pet-dogs.aspx)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

“É saudável alimentar seus animais com produtos humanos


Claro que sim! Depende do que você entende por "Alimentação!"

O conceito de “Alimentos para Cães” ou “Alimentos para gatos” deve ser deixado de lado. A verdadeira alimentação é aquela produzida pela terra, para qualquer ser vivo, humano ou não.

Muitos donos têm receio de alimentar seus animais com alimentos ditos “humanos” sem perceber que cada dia mais, alimentos processados são lançados aos animais, sem controle ou vigilância; cães e gatos possuem o direito de receber alimentos saudáveis, frescos, assim como nós fazemos.

Lógico que os alimentos oferecidos devem ser adaptados para atenderem  as necessidades nutricionais dos animais, no entanto, aqueles industrializados seguem o mesmo padrão dos nossos alimentos processados, são como oferecer um “shake”, substituindo as três refeições do dia pelo resto da vida. Você faria isso com seus filhos? Claro que não! Alimentos frescos são mais saudáveis!

Alguns profissionais recomendam aos donos que alimentem os seus animais com alimentos processados (rações, carnes enlatadas, etc) e, alguns até chegam a dizer que outro tipo de alimento que não a ração, é prejudicial a saúde dos animais já que alimentando-os de outra forma, estariam expondo sua saúde a riscos.
Esse paradigma tem deixado os proprietários confusos; na realidade, uma alimentação biologicamente adequada (incluindo aí uma variedade de alimentos frescos), é a única maneira de fazer o seu animal prosperar

De fato, um número crescente de veterinários condena o alimento processado (secos e enlatados), apontando-os como causa de doenças, alergias  e até morte prematura em cães e gatos modernos.

Conclusão? Sim! Você pode e deve oferecer ao seu animal de estimação alguns dos alimentos que você come! Se esses alimentos  possuem nutrientes corretos, serão os mais saudáveis que seus animais já consumiram.


Os veterinários favoráveis a alimentação natural, recomendam produtos frescos para uma dieta balanceada em termos de nutrientes. Para muitas pessoas o principal impedimento nesse caso, é o custo, já que os produtos frescos são mais caros do que alimentos industrializados.  Entretanto, animais que recebem esse tipo de dieta têm menos problemas de saúde, o que significa reduzir as contas de veterinário durante toda a vida. Se você não tem tempo para alimentar o seu animal de estimação com produtos assim, não deve deixar de oferecer alimentos naturais ao longo do dia, na forma de frutas e verduras Lembre-se, (ainda que realmente saudáveis) não devem constituir mais de 15% do consumo na sua alimentação diária.


Frutas são uma das melhores guloseimas que você pode oferecer.

Uma salada sem molho, mas com abundância de vegetais folhosos verde escuro, também é bom para seu gato – já que eles  mastigam as plantas domésticas por algum motivo, afinal.

Evite dar seus companheiros biologicamente carnívoros, alimentos inadequados, incluindo grãos, como aveia, soja, milho, trigo ou arroz. Cães e gatos não têm uma grande exigência de carboidratos e alimentando seus animais de estimação com destes alimentos pró-inflamatórios estará criando obstáculos desnecessários para a saúde metabólica.


Além disso, existem alguns alimentos que são tóxicos para eles;, uvas, passas, nozes de macadâmia e cebolas, não devem nunca compor os pratos  dos seus animais.

Como escolher os alimentos ideais para o seu animal?


A Dra. Becker, a exemplo de outros veterinários, recomenda uma alimentação com alimentos crus como carnes, frutas e vegetais, dieta biologicamente adequada, dieta pelo resto da vida


Se você não puder, ou, não quiser alimentar o seu animal de estimação com uma alimentação equilibrada, dieta de alimentos crus, então recomenda-se que seja utilizada a melhor opção: alimentos enlatados de elevada qualidade (verificar os rótulos com ajuda ao seu veterinário), e, completar com nutrientes saudáveis.

A última opção seria um alimento seco (ração), feita com ingredientes de primeira qualidade humana, com pouco ou nenhum grão e muita água.

Mas não importa qual opção você escolher, lembre-se que você pode oferecer o seu cão e gato, frutas, verduras, castanhas e muitas outras frutas frescas, vegetais e carnes de forma regular.

Através dessa informação, você poderá conhecer melhor os alimentos, oferecendo  com mais confiança aos seus animais o que existe de mais puro e fresco. “Eles merecem o mesmo benefício da vida, através de alimentos que você mesmo consome, e não há maneira melhor para começar do que através da partilha de alguns destes alimentos crus e saudavéis, com seu cão ou gato hoje.” (Adaptação dos comentários da Dra Becker - http://healthypets.mercola.com/sites/healthypets/dr-karen-becker.aspx)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Salmonelas – onde menos se espera!


Se você alimenta seu animal de estimação na cozinha, por favor, leia isto agora!

Algo que eu sempre fazia, mas agora não faço mais! Não por causa dos meus "filhos caninos", mas por causa de rações que podem estar contaminadas. Leia o artigo abaixo da Dra. Becker.

"Se você possui um animal de companhia e utiliza rações industrializadas, é necessário ter cuidados com a sua manipulação, pois é cada vez mais freqüentes os casos de pessoas contaminadas pelo contato com esses alimentos na hora de servi-los aos seus animais de estimação.  
Em 2007 houve a retirada das prateleiras, de alimentos para animais contendo Melamina, produto químico tóxico usado em plásticos, produtos de limpeza, laminados, fertilizantes entre outros, porque neles foi encontrado ácido cianúrico no glúten de trigo presente em determinados alimentos para animais de estimação, importados para os EUA da China.


A combinação de Melamina e Ácido Cianúrico é conhecida por causar insuficiência renal em animais de estimação, e, muitos deles ficaram gravemente doentes, outros morreram, após a ingestão de alimentos contaminados.

A maioria dos grandes fabricantes de ração animal e os fabricantes tiveram seus produtos retirados por suspeita de contaminação, em especial com a bactéria salmonela.


Em 2008, em razão de uma sequência de inúmeros casos de contaminação por salmonela, o principal fabricante de pet food Marte Petcare nos EUA, foi forçado a fechar suas portas. O CDC constatou que a contaminação ocorreu na sala de aroma da fábrica já que os alimentos secos foram pulverizados com intensificadores de sabor antes do empacotamento.    

 
Para obter uma lista completa de alimentos para animais de estimação recordado pelo nome do produto, visite FDA.gov. Como você verificar na lista, estão as marcas de alimentos para animais de estimação, que mesmo considerado de alta qualidade não estão isentos de contaminação.

Sinais e sintomas de uma infecção por salmonela em seu cão ou gato podem incluir:

        * Diarréia, às vezes sangrenta
        * Vômitos
        * Febre
        * Letargia
        * Perda de apetite
        * Dor abdominal




Salmonella é a bactéria mais comum entre os humanos. dados da agência de saúde, estima-se que  1,5-4 milhões de pessoas nos EUA são contaminadas cada ano, e cerca de 1.000 morrem.

A grande maioria das infecções humanas é proveniente de outras fontes de animais ou alimentos para animais de estimação, porém, a bactéria pode ser transmitida a partir de alimentos para animais de estimação para as pessoas de várias maneiras.


Seu animal pode eliminar a bactéria em suas fezes até 12 semanas após entrar em contato com salmonela - mesmo que ele nunca aparece doente.

Nas crianças a infecção ocorre por manipulação de alimentos para animais de estimação sendo as mãos o principal o veículo de condução da bactéria (crianças sempre põem a mão na boca) ou o próprio alimento.
Famílias que alimentam seus animais de estimação na cozinha parecem ser o maior grupo de risco, especialmente se houver crianças muito jovens (menos de dois anos de idade) em casa.
Existem suspeitas que os surtos de salmonela relacionadas com a alimentação podem ter acontecido pelo fato de que a bactéria salmonela se multiplica em alimentos para animais servidos em comedouros sujos.

 
Muitos dos sintomas de infecção por salmonela em humanos são semelhantes aos animais e podem incluir:



        * Náuseas e vômitos
        * Diarreia, sangue nas fezes
        * Dor abdominal
        * Febre e calafrios
        * Dor de cabeça
        * A dor muscular

    

Em um caso típico de salmonelose, os sintomas ocorrem dentro de 12 a 72 horas de exposição e dura de quatro a sete dias. A maioria das pessoas se recupera sem tratamento, mas para alguns, a diarréia é tão grave que a internação é necessária. Nesses pacientes, a infecção pode se espalhar para a corrente sangüínea e para outras partes do corpo. Crianças, idosos e pessoas com sistemas imunológicos comprometidos são mais propensos a ficarem gravemente doente com uma infecção de salmonela.


Como acontece a contaminação.

 
Curiosamente, a bactéria não aparece nos ingredientes do alimento;   Antes de serem embalados para o transporte, o croquete é enviado para uma sala especial para ser pulverizado com intensificadores de sabor. Esta sala é constantemente úmida, sendo esse o ambiente ideal para o crescimento da bactéria salmonela.


Estes aditivos são concebidos não só para tornar o sabor de alimentos secos mais atraentes para seu animal de estimação, mas também viciar o seu paladar a um determinado produto. Isto garante que você, sua dona coruja, se torne um cliente fiel de uma determinada marca de alimentos para animais de estimação.

Segundo a Associação Americana de Medicina Veterinária (AVMA):

"Muito embora os alimentos para animais de estimação contenham produtos de origem animal, e corram o risco de contaminação por Salmonella, E. coli e outros organismos, são cozidos a altas temperaturas o que garante que os organismos sejam destruídos - no entanto, se um aditivo contaminado (um aromatizante, por exemplo) é adicionado aos alimentos após o cozimento ou se entra em contato com materiais contaminados, esses alimentos serão contaminados.    A Salmonella pode viver em alimentos secos para animais tratados com sprays aromatizantes contaminados por meses depois que o produto é embalado e transportado. O que é preocupante: quase todas as marcas de alimentos para animais no mercado é tratado com "intensificadores de sabor."

Não importa a fonte de alimentos contaminados por salmonela no animal de estimação, o problema não tem solução simples. Na verdade, um especialista acredita que a situação vai se tornar mais generalizada.

"Já ocorreram problemas com os alimentos para animais de estimação antes", disse o Dr. Pascal James Imperato, presidente do departamento de medicina preventiva e saúde comunitária da Universidade Estadual de Nova York Downstate Medical Center, em Nova York." E reintera...
"Se a comida tinha qualquer produto de origem animal em sua composição, poderia ter acontecido a contaminação, ou se estava sendo processada em uma fábrica, onde também foram desenvolvidos outros produtos de origem animal, nesse quadro, a contaminação pode ocorrer facilmente", disse ele.
"Há uma maior industrialização na fabricação de produtos alimentares, tanto para seres humanos como para animais, através de complexos sistemas de processamento. Conseqüentemente, há maior possibilidade de contaminação", Imperato disse. "É provável que ocorram muitos mais casos
."
Como manter toda a sua família segura?
    
A maioria dos alimentos quando industrializados mesmo de maneira correta traz o sempre riscos de provocar doenças em pessoas e animais. Mas quando você prepara suas refeições em casa, usando alimentos frescos, saudáveis e práticas de bom senso para a cozinha, manuseio e armazenamento, exerce controle absoluto sobre a situação.
A única maneira de assegurar eu os seus familiares não sejam expostos a alimentos contaminados para animais de estimação, é preparar o alimento do seu cão ou gato pessoalmente. Isso não elimina totalmente o risco de exposição a alimentos comerciais para animais de estimação, mas feito corretamente, ele também irá proporcionar para o seu animal de estimação bem-estar e qualidade de vida.
Conclui a Dra. Becker:

"Se você está pronto para mergulhar de cabeça e aprender a alimentar o membro peludo da família peludo através de refeições nutritivas, existem diversas publicações sobre o assunto, inclusive , eu sou co-autora de um manual de como fazer, que inclui receitas para as duas dietas cruas e cozidas chamados alimentos reais para Saudável Cães & Gatos. A primeira seção do livro, após a introdução, aborda como preparar e armazenar a comida de verdade, o que você deve comprar para seu animal de estimação.
Para aqueles que pretendem continuar a alimentar seus animais com rações comerciais, comprometam-se a servir dentro dos padrões listados a seguir pela AVMA:
 * Lave bem as mãos depois de manipular qualquer alimento para animais de estimação;
* Não permita que crianças muito jovens, os idosos ou aqueles que estão imunocomprometidos manipulem alimentos para animais de estimação.
* Mantenha os alimentos para animais de estimação e guloseimas longe da comida da sua família.
* Não prepare alimentos para animais na mesma área ou com os mesmos equipamentos / utensílios que você usa para preparar os alimentos humanos.
* Não permita animais de estimação em bancadas ou outras áreas onde a alimentação humana está preparada.
* Durante a investigação de surtos de salmonela recentes, a alimentação de animais na cozinha foi apontada como uma fonte de infecção, e por esta razão, considere encontrar um local separado da sua cozinha para alimentar o seu animal de estimação."

Lindo vídeo! porque os gatinhos são geniais!

TOXOPLASMOSE X GRAVIDEZ

Gatos e gravidez

A matéria abaixo me chamou atenção porque muitas vezes falta de informação provoca um mal maior.

Muitos médicos aconselham os donos de gatos, a livrarem-se dos gatos durante a gravidezdevido ao risco de exposição à toxoplasmose. Se não quer ficar longe do seu animal deverá tomar determinadas precauções simples, mas muito importantes, para evitar o contágio.
O QUE É A TOXOPLASMOSE?
A toxoplasmose é uma infecção causada por um parasita. As fontes comuns de infecção são as carnes mal cozinhadas, os gatos, as frutas e vegetais não lavados, ou solos contaminados por fezes de animais.

Ter gatos ou outros animais dentro de casa, trás responsabilidades, pois apesar de gostar muito do seu animal, deve manter as condições de higiene mínimas, tudo deve estar bem limpo. A única maneira de ter toxoplasmose transmitida pelo seu gato é através do contacto directo com as suas fezes. A maioria das pessoas nunca tem contacto directo com as fezes do gato! Para reduzir o risco de exposição a este parasita, deve usar luvas ao limpar a caixa de areia do gato ou na jardinagem em áreas que são frequentadas por gatos. Lave bem as mãos quando tiver terminado.
Uma vez que o organismo é eliminado nas fezes, leva 24 horas para se tornar activo e capaz de infectar. Por isso é importante trocar a caixa de areia diariamente. Se mesmo assim estiver preocupada com a sua gravidez, peça a alguém para limpar a caixa de areia por si. Outra forma de reduzir o risco de contagio é evitar comer carne mal cozida. Certifique-se de lavar bem, todas as frutas e vegetais frescos. Mantenha as mãos lavadas, especialmente durante toda agravidez. Isso irá reduzir o seu risco, também.

Hoje em dia um simples exame de sangue pode dizer se já foi exposta à toxoplasmose. O teste procura os anticorpos que são produzidos pelo sistema imunitário para a proteger do parasita dataxoplasmose. Se for exposta à toxoplasmose durante a gravidez, as probabilidade de defeitos de nascimento são mínimas. Os sintomas da exposição são semelhantes aos da gripe. Mas, não entre em pánico a toxoplasmose é tratável. Em caso de suspeita de contágio, ou qualquer outro sintoma diferente do habitual, entre em contacto com o seu médico e exponha-lhe os seus receios.

*Fonte: http://geekcats.com/balaio/m/articles/view/Gravidez-e-Gatos

LICENÇA DE USO

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.